Pesquisa revela que plantas são sensíveis ao toque

Estudo australiano mostra que vegetais alteram DNA quando tocados 


O toque pode influenciar no desenvolvimento das plantas de forma negativa. Foi o que concluiu um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade La Trobe, em Melbourne, na Austrália. A pesquisa revelou que as plantas são sensíveis ao toque, e que um simples esbarrão pode gerar alterações em 10% no DNA dos vegetais.

Durante os experimentos, os cientistas submeteram exemplares de plantas do gênero Arabidopsis thaliana a vários estímulos de toque. Os resultados demonstraram que o toque, seja ele leve ou repetido várias vezes, desencadeia mudanças genéticas na planta.


“Após um toque, dentro de meia hora, 10% do genoma da planta é alterado. Isso envolve um enorme gasto de energia que é tirado do crescimento das plantas. Se o toque se

repetir, o crescimento delas pode ser reduzido em até 30%”, explicou o professor Jim Whelan. diretor do Instituto de Agricultura da universidade e líder da pesquisa.

De acordo com o estudo, publicado na revista científica The Plant Journal, e divulgado no Brasil pelo CIB – Conselho de Informações sobre Biotecnologia, ainda não existe uma resposta definitiva que explique porque as plantas reagem ao toque, mas uma das razões pode estar associada a uma estratégia natural de defesa contra o ataque de insetos. Durante os experimentos, quando um inseto pousava na folha, flor ou caule, os genes eram ativados e a planta se preparava para se defender.

Para os cientistas, estes resultados podem ajudar a desenvolver novas técnicas voltadas para estimular o crescimento, reduzir a sensibilidade da planta, ou aumentar a produtividade. O estudo pode auxiliar ainda no desenvolvimento de variedades menos sensíveis ao toque, porém mais resistentes a outros fatores que influenciam em muitas lavouras, como calor e frio.

A Arabidopsis thaliana, usada no experimento australiano, é uma planta nativa da Europa e da Ásia, pertencente à família das Brassicaceae, a mesma da mostarda. Agora os pesquisadores vão realizar novos testes com outras espécies de plantas.

Curiosidade

A influência de fatores externos no desenvolvimento das plantas sempre gerou curiosidade entre os cientistas. Em 2007 um estudo realizado por pesquisadores sul-coreanos sugeriu que as plantas reagem positivamente a melodias musicais.

Na época, plantas de arroz, expostas ao som de 14 fragmentos de música clássica, apresentaram alterações no nível de atividade genética.

Segundo a pesquisa do Instituto Nacional de Agricultura e Biotecnologia da Coreia do Sul, diante das ondas sonoras, os códigos de DNA da planta desencadearam processos biológicos voltados para o crescimento. O som provocou a reação de dois genes sensíveis à presença da luz.

No escuro, as plantas também reagiram à música e ativaram os genes do crescimento. As pesquisas ainda estão em andamento, mas há quem toque música clássica em estufas de criação de flores, principalmente orquídeas, consideradas espécies supersensíveis pelos colecionadores.

Sociedade Brasileira de Biotecnologia - SBBiotec
SRTVS, Quadra 701, Conj. E, Edifício Palácio do Rádio II, Bloco 2/4, Sala 506, Asa Sul - Brasília/DF
CEP: 70340-000
Telefone: (61)3223-0845 / 3039-3103

Fale com a nossa atual Diretora Presidente: (61)99965-6736
E-mail: sbbiotec@sbbiotec.org.br

Segunda a Sexta - das 08h às 18h - Intervalo de 12h às14h

  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

Copyright © 2017 SBBiotec. Todos os direitos reservados.